A partir de 1 de janeiro de 2022 entra em vigor um novo valor da Retribuição Mínima Mensal Garantida (RMMG), vulgarmente designada de salário mínimo nacional, que passa a ser de 705 euros brutos mensais. Um valor que representa um aumento de 40 euros, face aos 665 euros atualmente em vigor.

Quais os impactos do novo salário mínimo no salário líquido mensal?

Quem recebia o salário mínimo em 2021 e vai continuar a auferir salário mínimo em 2022, passa a receber € 705 em vez de € 665 (+ 40 euros em termos brutos).

Em termos de IRS, a situação mantém-se. Não vai descontar mensalmente porque se trata do salário mínimo. Não tinha descontos em 2021 e não vai ter em 2022.

Quanto à Segurança Social, a taxa é a mesma, 11% sobre o salário bruto. No entanto, como o salário é maior, a contribuição para a segurança social é

também maior. Ainda assim, o aumento compensa, pois, o salário líquido será maior que em 2021:

€ 665 x 11% = € 73,15 (2021)

€ 705 x 11% = € 77,55 (em 2022 vai descontar + € 4,40 / mês)

€ 665 – € 73,15 = € 591,85 (2021)

€ 705 – € 77,55 = € 627,45 (2022)

O salário líquido mensal em 2022 terá um aumento de € 35,60 (627.45 – 591.85), o equivalente a € 498,40 em termos anuais.

Em termos brutos, o acréscimo é de € 40 (€ 705 – € 665), mas no que efetivamente recebe todos os meses, o acréscimo será de € 35,60.